top of page
  • Foto do escritorAngélica Madalosso

EB Lover, by Nikole Oliveira


Hoje, a protagonista da editoria EB Lover é a Nikole Oliveira.


• Qual sua área de formação?


Minha primeira formação profissional foi um Tecnólogo em Recursos Humanos. Comecei a trabalhar na área como aprendiz, fui estagiária e me tornei uma profissional generalista. Passei por várias das estruturas comuns de RH e nunca me senti completa… mas todos os caminhos me levaram à comunicação, ainda bem! No momento, estou no sexto período de Publicidade e Propaganda.


• Há quanto tempo você trabalha com EB?

Um ano e meio. Quando me aprofundei em EB fiquei apaixonada.


Sem dúvidas, uma das minhas paixões é o universo que envolve a relação de colaboração

entre pessoas e empresas. Por muito tempo atuei com Comunicação Interna e

Endomarketing com muito amor, mas passei a sentir que algo não era mais preenchido dentro de mim. E eram as expectativas de atuar com a publicidade e unir o que eu conhecia de pessoas e comunicação. No Employer Branding, esse sentimento foi preenchido e por ordem do destino, num ambiente com muitas oportunidades.


• Qual empresa você trabalha hoje?

Há dois anos trabalho no Asaas, uma Fintech de Joinville. Pense num lugar que realmente

impulsiona as pessoas! Desafios, confiança, oportunidades e muito respeito e acolhimento.


Sempre falamos que aqui o tempo passa rápido, dada a intensidade de crescimento pessoal, profissional e experiências. Sou suspeita, óbvio, mas realmente admiro o Asaas, as pessoas que colaboram, o propósito, os valores e tudo o que foi construído para que seja uma marca tão potente em questão de time e força de negócio.


• Quais são as suas principais atribuições?

Hoje, sou responsável por todos os nossos processos de EB, dentro da área que chamamos de People Experience. Há um ano e meio venho estruturando a área e construindo processos para trabalhar a gestão da marca empregadora. Atualmente, planejo campanhas e conteúdos para Social Media junto de uma squad de profissionais incríveis de Redação, Design e Audiovisual. Produzimos conteúdo e acompanhamos o alcance no LinkedIn e Instagram de carreiras (@asaas.carreiras).


Também produzimos conteúdos voltados para a cultura e experiências de colaboradores em nosso blog colaborativo no Medium, o Estação Asaas. Sou responsável principalmente por identificar as oportunidades de conteúdo, planejar e acompanhar as métricas junto à squad, além de colaborar em conteúdos voltados à cultura. Tenho uma parceria incrível com o time de Marketing. Por isso, comentei que tive a oportunidade de conhecer o EB num ambiente propício hehe :)


No Glassdoor, acompanhamos as avaliações e métricas, além de constantemente buscar novas avaliações, de colaboradores e candidatos. Também acompanho a squad de embaixadores da marca, criando conexões entre as necessidades e comunicações da marca empregadora e os projetos desenvolvidos com eles. Estou conectada à área de Talent Acquisition e estamos com vários projetos e desejos, cuidando da experiência dos candidatos, diagnosticando como se dá a nossa atração e conversão, NPS de candidatos, aprimorando nossa página de carreiras e trabalhando na relação com universidades. Esse, na verdade, é um trabalho que as recruiters realizam de forma muito autônoma, e eu ofereço apoio com conteúdo. Além disso, outras áreas muito parceiras são Comunicação Interna, Employee Experience e Desenvolvimento Organizacional, meu objetivo é alinharmos todo o aspecto cultural, estratégias de comunicação e necessidades.


• Qual o maior case que você já trabalhou ao longo de sua trajetória?

Acho que não possuo grandes cases, visto o tempo atuando e aprendendo sobre a área.


Mas, vou compartilhar algumas experiências:


Lançamos, esse ano, o Asaas Partners, nosso programa

de embaixadores. Conto um pouco sobre essa experiência nesse conteúdo do Medium (link). Resumidamente, trabalhei nele quase um ano, criando todo o projeto, estrutura de seleção, treinamentos e processos que rodam atualmente. Há 3 meses, iniciamos os trabalhos com 20 Partners e eu me apaixono a cada nova colaboração deles.



Mas nossa, já rolou muita coisa!


Página de carreiras para novo ATS, muitas campanhas com objetivo de crescimento do nosso Instagram de carreiras, das avaliações do Glassdoor, para divulgação de vagas de tecnologia, programa de estágio, de cultura, incluindo reforço cultural com colaboradores... Nos aventuramos em produção de audiovisuais, tanto para atração quanto retenção, mas a maior aventura mesmo é cuidar de todos os processos buscando fazer da forma mais assertiva sem um posicionamento claro, apenas com conhecimento da cultura e muita transparência. Por isso, atualmente estou trabalhando na identificação e construção da proposta de valor do Asaas, o famoso EVP. Acredito que esse será o novo maior “case” rs mas deixo para compartilhar no futuro :)


Inclusive, principalmente para essa necessidade, resolvi iniciar o curso de EB Expert.


• Que dica você daria para quem quer trabalhar na área?

Já li muitas dicas para quem quer trabalhar na área, então vou tentar não ser clichê e fugir um pouco do que já vi.


Pode parecer uma dica difícil, mas acho que é a coisa mais importante antes de qualquer outra: trabalhe com uma marca que você acredita e é apaixonado. Mas, não feche os olhos para reconhecer as fraquezas dessa marca. Ela não precisa ser perfeita.


Depois, comece estudando o mercado em que você está, qual é o perfil e quais são as principais necessidades dos profissionais que trabalham nessa área, quais são as novas tendências de marca empregadora e para onde estamos indo nesse sentido. Dando um Google, você encontra muito conteúdo sobre EB, mas sugiro se aprofundar um pouco em conteúdos antigos também.


“Mas Nikole, você falou para ficar por dentro do mercado atual.”


Sim, mas Employer Branding passou a fazer sentido para a maior parte das empresas brasileiras há pouco mais de 10 anos. Logo, de uma forma ou de outra, muita coisa é atual, e, dependendo do perfil da sua empresa, você pode estar junto de muitas outras na corrida, que já estão preocupadas com marca empregadora, ou muito atrás.


Entenda que todas as mudanças no mercado, principalmente após a pandemia, mudaram também os profissionais e suas prioridades e necessidades. Então, se aprofunde em “quem” sua empresa é neste meio e o que pode ser feito para gerar valor a ela, começando de dentro para fora. Dá um check na experiência dos colaboradores. :)


Depois disso, provavelmente você já vai querer sair fazendo todas as coisas incríveis para o negócio que o EB é capaz de fazer, no que diz respeito às pessoas, mas lembre que marca empregadora não é responsabilidade de apenas um analista, mas sim, de todos. Se aproxime de todo o seu time de RH, entenda como sua empresa está, o que pode ser feito em prol da marca empregadora e que faz sentido para a estratégia da área e se jogue.


Caso não seja da área de comunicação, estude Branding, Mídias Sociais e Comunicação Institucional e, caso não seja da área de Pessoas, busque entender o poder estratégico da área, a partir das necessidades e tendências atuais.


Estude muito sobre Employer Branding, em todo lugar, livros, webinars, podcasts, eventos e cursos. Estude inglês, ou saiba o suficiente para não travar quando se deparar com eventos ou conteúdos nesse idioma. Faça benchs. Seja muito curioso(a), busque conhecer a fundo a cultura do lugar que você trabalha e para onde o negócio está indo, e, para não dizer que não fui clichê, invista na sua comunicação e relacionamento interpessoal, pois você vai precisar de muito apoio na jornada ;)

43 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page