• Angélica Madalosso

EB Lover, by Evellyn de Alcântara



Hoje a protagonista da editoria EB Lover é a Evellyn de Alcântara.


Qual sua área de formação?

Sou graduada em Relações Públicas pela Universidade Federal de Goiás (UFG), possuo MBA em Marketing e Estratégia Digital e estou iniciando minha pós-graduação em Gestão de Negócios, pela Fundação Dom Cabral.


Há quanto tempo você trabalha com EB?

Sei que não sou a única em não ter uma definição exata de quando comecei a atuar com Employer Branding. Digamos que de forma oficial seria há 1 ano e meio, mas em termos de execução já há um tempo maior. Na minha carreira, tenho o EB como uma evolução das atividades desempenhadas na comunicação corporativa.


Comecei com comunicação interna e iniciativas de endomarketing e, gradualmente, de acordo com a necessidade e evolução do mercado, fomos acompanhando toda a transformação e criação junto a marca empregadora propriamente dita.


Qual empresa você trabalha hoje?

Estou há 3 anos trilhando minha jornada profissional em uma companhia incrível. Ingressei quando ainda era Siagri, a vi se tornar Grupo e hoje, somos Aliare, uma empresa de tecnologia para o agronegócio, que reúne diversas soluções e parceiros com o propósito sólido de facilitar o trabalho de quem alimenta o mundo.


Aqui, criamos o elo das duas economias que mais crescem no mercado. A tecnologia e o agro. Somos #Aliados em levar mais gestão ao campo, utilizando dos códigos para ultrapassarmos fronteiras, na visão de, em breve, nos tornarmos a 1ª Big Tech Agro do Brasil.

Atualmente possuímos unidades físicas em Cascavel – PR, Rio Verde – GO e Goiânia – GO, onde também fica sediado nosso hub de inovação, o Conexa. Mas temos colaboradores presentes em todo Brasil, assim como nossas soluções.


Quais são as suas principais atribuições?

No meu último aniversário, recebi um presente interessante, um chaveiro do homem aranha. A justificativa era de que minhas atribuições também serviam como uma teia e ligavam diversas áreas e iniciativas. Estou a frente da supervisão da área de Employer Branding, que fica na gerência de Gente e Cultura. Tenho a honra e o prazer de trabalhar com um time que valoriza e enxerga o diferencial de atuar de forma colaborativa e multidisciplinar, sem falar que conto com a melhor mentoria que poderia desejar na minha trajetória profissional.


Minha principal contribuição está sendo criar e colaborar com projetos e atividades vinculados a marca empregadora, jornada e experiência do talento, comunicação interna e endomarketing. Na frente de EB somos responsáveis pelas estratégias e conteúdos da ativação da marca empregadora nas redes sociais, principalmente LinkedIn; gestão do Glassdoor; parcerias com instituições de ensino; acompanhamento em eventos estratégicos, externos à organização; realização de projetos e iniciativas para atração e retenção de talentos; gestão dos canais de comunicação interna; apoio às áreas, mas com acompanhamento mais próximo das frentes de treinamento e desenvolvimento, business partner, atração e seleção e marketing; dentre outras atividades que estão direta ou indiretamente relacionadas a toda experiência dos nossos #Aliados.


Qual o maior case que você já trabalhou ao longo de sua trajetória?

Na Aliare foi onde tive os maiores saltos, até hoje, na evolução da minha carreira. Então a transformação, mesmo que gradual, foi bastante intensa e acelerada, cheia de aprendizados e desafios. Fomos uma das primeiras empresas, em Goiás, a adotar o trabalho remoto quando se anunciou a pandemia. Como ainda estávamos no início do ano, vi todo um planejamento anual de ações ter que ser rapidamente adequado para o online. Apesar de termos que cancelar algumas que não davam para serem alteradas, deu tudo muito certo. Mesmo no “susto”, conseguimos garantir a proximidade e as experiências positivas dos nossos talentos.


Em meio a pandemia, concorremos a nossa primeira certificação GPTW e a conseguimos, realizamos nossa primeira semana geek 100% online, tivemos webinars, realização de projetos em prol da saúde e bem-estar focado nos colaboradores e seus familiares, lives ao vivo com músicos locais, lançamento de startups, investida financeira, fusão entre empresas, ativação do programa de embaixadores, aumento considerável no número de colaboradores... Não saberia definir apenas um grande momento nesta empresa, que sempre me vem com oportunidades e desafios gigantes.



Que dica você daria para quem quer trabalhar na área?

Sempre acreditei muito na efetividade da comunicação estratégica. E o EB, bem trabalhado, é 100% nutrido de estratégia. A dica é saber onde você quer chegar, após isso, desenhar quais serão os passos que te guiarão até lá. É preciso ter muito foco e resiliência, pois não é apenas um trabalho com pessoas, mas para pessoas.


Não existe uma graduação específica para atuar com EB, mas é preciso conhecer a definição de públicos e estratégia. Na internet você encontra diversos materiais gratuitos e profissionais incríveis para bater um papo, procure-os e reúna todo conhecimento possível. Aproveite cada oportunidade e lembre-se que não existe receita de bolo para marca empregadora. Cada experiência, situação e empresa são únicas. É analisar, enxergar, criar, executar, recriar, manter... Estar sempre acompanhando as tendências do mercado e como seu público está reagindo.


57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo