O bebe chinês, o bom senso e o flash

17 ago
2015

Na semana passada uma notícia causou um rebuliço no mundo da fotografia: um bebê chinês sem nome, morador de uma província sem nome, ficou cego depois que um tio sem nome o fotografou usando o flash de um celular sem marca e a equipe de um hospital sem nome confirmou a cegueira sem exames.

A história levantou a questão: “afinal, um bebê pode ser fotografado com flash?”

Mais do que usar um flash a pergunta deveria ser: “Afinal, deve-se usar o bom senso na hora de se fotografar um bebe? ou qualquer outro assunto?”

É óbvio que notícia é falsa do início ao fim, mas o único dado que ela fornece é suficiente para se ter todas as informações sobre o comportamento da luz na foto sem que se dê um click sequer!

O texto não informa nada sobre as pessoas envolvidas no fato mas, curiosamente, é super preciso em relação o flash, segundo o repórter ele foi disparado a 25 centímetros do rosto do bebê.

A essa distância até mesmo um cego se incomodaria com o clarão do disparo, mas se há um flash, então é possível calcular a abertura usada na fotografia graças a fórmula do número guia: abertura x distância.

A 25 centímetros é possível afirmar que uma abertura pequena foi utilizada gerando uma grande profundidade de campo e como o flash está muito próximo, a iluminação ficará toda concentrada no rosto da criança

Algo diferente e inesperado para fotos de newborn, que normalmente trabalham com profundidades de campo apertadas com todos os planos da imagem igualmente iluminados.

Essa poderia até ser uma brecha, uma vantagem para que você começasse a produzir imagens diferentes da imensa maioria, destacando-se, assim, do seu concorrente. Mas é melhor esperar o próximo workshop daquele guru da administração e marketing para fotógrafos que nunca pegou numa camera na vida, não é mesmo?

Vários fotógrafos trataram de avisar seus clientes que só usavam luz natural, mas o que eu não entendo é que com certeza esses estúdios usam janelas que não estão viradas o tempo todo para o melhor da luz e nem sempre é possível ter o sol na intensidade correta para uma exposição ideal.

O fotógrafo acaba trabalhando com ISOs elevados e baixas velocidades de obturador para compensar a pouca entrada de luz, ou seja:

Você gastou alguns mil dólares para comprar um equipamento excelente e acaba operando em sensibilidades tão altas que diminuem todas as qualidades que fizeram sua câmera e lente tão caras!

Que tal usar um equipamento de iluminação portátil, leve, discreto, que não depende de energia elétrica, pode ser usado em ISOS baixos, na abertura que você quiser, em velocidades altas e ainda por cima, consegue simular perfeitamente a iluminação natural que você tanto adora?

Esse acessório iluminação é o seu flash portátil!

Ao invés de 25 cm de distância, que tal usá-lo mais longe do assunto? Evitando, assim, a perturbação do disparo direto e garantindo a abertura grande e a pouca profundidade de campo que você tanto busca.

A vantagem de usar o flash afastado é que o que se perde de intensidade, ganha-se em abrangência de luz. Esse é o mistério por trás da fórmula do inverso do quadrado da distância

http://goo.gl/A7aSRH

Luana com por do Sol às 21h (http://goo.gl/A7aSRH)

A ênfase na queda da intensidade da luz é tão grande que se perde o grande barato da iluminação: com um flash apenas se consegue muita coisa.

Você pode mais com menos!

Esse é o truque que Deus usou quando afastou o sol para 150 milhões de quilômetros da Terra, se fosse possível estar em Mercúrio agora, eu e você seríamos vaporizados por uma luz extremamente suave, porém, de pouca abrangência

Ainda resta uma dúvida: com o flash afastado, a luz não fica cada vez mais dura?

Sim, duríssima! Mas quem adora a luz natural não pode criticar a dureza do Flash, pois as duas luzes são absolutamente iguais em qualidade.

Você não coloca uma cortina ou um modificador para suavizar a luz que entra pela sua janela? Faça exatamente a mesma coisa com o flash, mas usando ISOs baixos e velocidade altas, tudo que você precisa para uma foto ideal de forma tranqüila e rápida, a qualquer hora do dia ( e da noite) e em qualquer lugar!

Eu acho estranho que toda hora surjam inúmeros “Mestres da Luz” “Senhores da foto”, Magos da iluminação, especialistas em “sei lá o quê top master omni blém blém” que não tem trabalhos publicados, mas falam sobre o flash todo dia a toda hora em vídeos, cursos, palestras e uma notícia como essa mostra que a o mistério persiste e a confusão ainda reina.

Com única informação precisa garimpada na notícia, todo o esquema e o comportamento da luz surgem no seu cérebro sem um único disparo da câmera e nem desespero do fotógrafo.

Seu flash pode lhe ensinar a ser um fotógrafo mais versátil e seguro e iluminar pode ser mais divertido e fácil do que parece.

Fico por aqui!

Boa Luz e Boa Sorte!

12 Responses to O bebe chinês, o bom senso e o flash

Avatar

Renato Eck

agosto 17th, 2015 at 16:04

Puuutz! Excelente! Nota mil para as informações, clareza e didática do vídeo! Espero que muita gente assista e para de propagar besteiras por aí.
Parabéns e um abração!

Avatar

Victor D'Alcantara

agosto 17th, 2015 at 18:28

Uso flash direto em meu trabalhos adora saber que carrego uma bela quantidade de luz na mochila, quando fiquei sabendo dessa noticia logo já sabia que não tinha sentido nenhum. Na internet infelizmente temos que conviver com noticias falsas e sem provas. Parabéns pela postagem! Abraço e obrigado por compartilhar.

Avatar

Renato Miranda

agosto 17th, 2015 at 20:43

Obrigado Victor!! Boa Sorte!

Avatar

Renato Miranda

agosto 17th, 2015 at 20:43

Obrigado Xará, sucesso!

Avatar

Rosângela Assunção

agosto 17th, 2015 at 21:09

Ah… muito obrigada por ter considerado o meu pedido!!! Sempre digo que “você é o cara” e você nunca me decepciona. Obrigada Renato Rocha. Quase enlouqueci de ter lido tanta besteira sobre o “caso do bebê chinês”. E o pior é que a notícia alarmante foi divulgada por uma Revista especializada em fotografia de “renome” e compartilhado por inúmeros fotógrafos que, com muita sabedoria e conhecimento técnico, atestaram a nocividade do flash. Obrigada, obrigada por ser “o cara” do flash! E espero conseguir trazer você novamente a BH para iluminar a cabeça de nossos colegas fotógrafos. Forte Abraço.

Avatar

Tamires

agosto 17th, 2015 at 22:25

Adorei o vídeo! Explicado de forma super simples… parabéns!

Obrigada por compartilhar seu conhecimento!

Avatar

Renato Miranda

agosto 17th, 2015 at 23:23

Obrigado você Tamires pela visita e comentário! sempre bem-vinda!

Avatar

Renato Miranda

agosto 17th, 2015 at 23:24

Quando voc6e quiser Rosângela! foram um prazer aqueles dias! abração

Avatar

Luamar Nery

agosto 19th, 2015 at 19:54

Excelente Renato!!!! Parabéns pelo vídeo!!!

Avatar

Marcio Uda

agosto 20th, 2015 at 00:43

Grande Renato!
Falou tudo, tem gente que nunca fotografou um Newborn e virou especialista do dia para a noite apenas para entrar nesse assunto tão polêmico….
Sou seu fã e adoro o seu trabalho!
Grande abraço!

Avatar

Renato Miranda

agosto 20th, 2015 at 00:43

Obrigado Luamar! Obrigado pela visita!

Avatar

Renato Miranda

agosto 20th, 2015 at 00:45

Grande Uda!! Que boa visita cara! obrigado pelo comentário, grande abraço!

Comment Form

top