Archive janeiro 2015

Teleobjetivas achatam planos? 38

Sim! E mamíferos como os coelhos colocam ovos de chocolate na Páscoa…

Eu tirei 10 dias de férias bem merecidas e a proposta desse post é bem simples:

Farei duas fotos com a câmera no tripé, mantendo fixa a exposição e alterando apenas a distancia focal, na primeira imagem será usada uma 50mm (tanto faz se f/ 1.4 ou f/ 1.8) e na segunda, uma 85mm (também não importa a abertura máxima).

Antes, acho que vale a pena explicar o que é a “distancia focal” de uma objetiva:

 é a distância, em milímetros, entre o ponto de convergência da luz até o ponto – sensor ou filme - onde a imagem focalizada será projetada.

Eu sei.. não ajuda muito, é o tipo de definição que pede um mergulho mais profundo, até porque é la no fundo que se encontram as respostas para angulo de visão, distancia focal e tamanho de imagem, mas você terá que enfrentar catetos, tangentes e o Teorema de Pitágoras, como a maioria dos fotógrafos atualmente quer as respostas prontas, eu vou ficar por aqui, ok?

 

50mm (f/4@ 1/25s, ISO 1600)

50mm (f/4@ 1/25s, ISO 1600)

Aqui esta nossa primeira imagem, tentei fazer um vídeo mostrando todo o post, mas com um vento de -2 graus entrando pelas frestas da roupa ficava difícil falar ou pensar em alguma coisa.

Ela mostra Thaisa, minha engenheira sagaz, sentada em um banco com um arbusto e um pequeno prédio ao fundo, a câmera esta no tripé e o próximo passo é clicar a mesma cena, desta vez com uma 85mm, na mesma exposição:

85mm (f/4@1/25s, ISO 1600)

85mm (f/4@1/25s, ISO 1600)

WOW!

Olha a diferença no enquadramento e como esse post está tendendo a terminar como todos aqueles que você já leu recomendando escolher com calma sua teleobjetiva e observar como distancias focais maiores tendem a isolar o assunto principal e ACHATAR OS PLANOS DA IMAGEM, fazendo com que a Thaisa fique mais próxima do prédio ao fundo e do arbusto.

Normalmente, esses posts também sugerem a compra uma objetiva que você ainda não tem e cujo preço bate facilmente na casa de alguns mil dólares, o que te deixa chupando dedo e se achando a pior das criaturas e, como sempre, associando uma boa fotografia a equipamentos caros.

O que eu acho estranho nesse mundo onde é cada vez mais fácil dar um zoom em uma foto no monitor da câmera ou em programas como Lightroom ou Photoshop, é que não se tenha percebido que todas as imagens usadas para mostrar esse efeito de achatamento de planos, acabam provando justamente o contrário.

Observe novamente a imagem feita com a 50mm (note os fios de cabelo caindo pelo rosto da Thaisa, ok?):

50mm (f/4@ 1/25s, ISO 1600)

50mm (f/4@ 1/25s, ISO 1600)

Ainda na câmera, sem ajuda de qualquer programa de edição, usei o comando interno “TRIM” ( algumas modelos permitem que se ajuste a imagem ainda dentro da câmera) e dei um corte mais fechado na imagem, veja:

50mm "cropada" (f4@ 1/25s , ISO 1600

50mm “cropada” (f4@ 1/25s , ISO 1600)

ainda é a mesma 50mm, exatamente a mesma imagem, mas agora compare esse novo corte com a 85mm:

85mm (f/4@1/25s, ISO 1600)

85mm (f/4@1/25s, ISO 1600)

Como se esperava, o fundo ficou mais desfocado, consequência imediata de se aumentar a distancia focal de uma objetiva, mas cade o bendito achatamento de planos?

Infelizmente ( ou felizmente, dependendo do lado em que se esteja):

Teleobjetivas não achatam planos.

Até porque se há algo no universo que obteve êxito em ser achatado foi a noção de “plano”.

Quando se aumenta a distancia focal de uma objetiva,por exemplo, indo de uma 24mm para uma 50mm, de uma 85mm para uma 200mm, além da imediata diminuição da profundidade de campo, ocorre um aumento do tamanho da imagem projetada dentro da câmera.

Como seu sensor permanece com o tamanho inalterado, ele capta agora um pedaço menor da imagem, dando a impressão de que o objeto fotografado esta mais perto, quando na verdade sua imagem é que está aumentando.

dia8.4_thumb[1]

Justamente pela falta daquele mergulho mais profundo lá de cima, pela pressa em se obter resultados imediatos e pela mania de querer crescer na fotografia ouvindo “dicas” de gente que nem portfólio tem é que sua mente está sendo ludibriada por conceitos bobos.

Mas, se seus próprios olhos estão sendo enganados, como você espera se desenvolver em um profissão que depende, essencialmente, de um olhar aguçado?

Boa Luz e Boa Sorte!

 

PS: o teclado é italiano, alguns erros eu vou corrigir na volta, ok?

PS(2): eu não parei de escrever aqui, estou usando o pouco tempo que me sobra para reunir os melhores fotógrafos do pais para cursos presenciais no meu estudio, o Criadouro. Em 2 anos teve muita coisa boa, vem conhecer o espaço!

PS(3): eu consigo contar de cabeça pelo menos 4 posts que foram literalmente surrupiados daqui e vendidos em curso on-line por ai, dá pelo menos o crédito, meu velho…fica deselegante isso…

I LOVE MY JOB utiliza WordPress com FREEmium Theme.
As modificações foram feitas por Carlos Alberto Ferreira