Archive janeiro 2014

Fotografia de Gestantes no Criadouro 2

Anota na agenda!

Sábado, dia 8 de Fevereiro, de 9h às 18h, tem a segunda edição do Curso de Fotografia de Gestante com a fotógrafa paulista Fernanda Giarato.

No final de 2013 ela esteve pela primeira vez no Criadouro e o curso foi um sucesso!

participantes praticam com a modelo

participantes praticam com a modelo

Turma cheia, duas gestantes como modelos e a Fernanda soube explorar todas as possibilidades de iluminação natural da casa, criando fotos incríveis.

Há dois álbuns de fotos no facebook, ficou bem legal o resultado, clique aqui  e aqui para ver! Vale a pena, agora com novos jardins e outros cantinhos fotográficos o curso promete!

A idéia é mostrar todo o processo, desde o primeiro contato com a grávida, contratos, iluminação natural, produção, poses, direção, tratamento e montagem do álbum, para quem está começando ou tem dúvidas de como entrar nesse ramo, é uma oportunidade excelente

A turma é pequena, novamente teremos duas grávidas para fotografar e o investimento pode ser parcelado em até 18x diretamente no aplicativo Facileme dentro da página do Criadouro, clique no link abaixo para mais informações:

https://www.facileme.com.br/app/p/312110

Galera prestando atenção

Galera prestando atenção

Para quem mora fora do Rio, o Criadouro tem parceria com três pousadas/hotéis distantes 5 minutos do estúdio, cujas diárias começam em R$ 70,00, mande um email ou comentário que indico os links.

É isso, espero vocês aqui! ( e em breve: curso de Diagramação e Iluminação Profissional no Criadouro, em Março! Aguardem!

Fotógrafos são pessoas felizes!

Fotógrafos são pessoas felizes!

 

Boa Luz e Boa Sorte!

 

 

 

 

Número-Guia e a “Potência” do Flash 28

Eu preciso agradecer ao Bruno Lorenzo por, durante uma aula particular de flash, ter feito a pergunta certa.

Tenho uma sorte incrível de ter encontrado um estúdio com uma vista indescritível de dois dos pontos mais charmosos do Rio de Janeiro:  A Pedra Bonita e a Pedra da Gávea.

Pedra Bonita e Pedra da Gávea, inspiração até para o logotipo do Criadouro

Pedra Bonita e Pedra da Gávea, inspiração até para o logotipo do Criadouro

Essas duas muralhas de granito (diga adeus aos celulares por aqui) me fazem perder boas horas em pura contemplação, mas um detalhe pequeno tem força suficiente para brigar (e muitas vezes vencer) com elas. Olhe a foto que está no cabeçalho do post e veja a imagem que aparece quando se abre o portão de entrada do Criadouro. 

Lá em cima, à esquerda, surge o campanário da Igreja de São Bartolomeu, somos vizinhos de muro. Já fiz tanta burrada na vida que é incrível ter uma Ajuda dessas tão perto de mim, nos momentos de tensão basta dar uma olhada para o lado e agradecer à Boa Companhia pela inspiração e segurança.

Torre da Igreja de São Bartolomeu

Torre da Igreja de São Bartolomeu

Bruno pediu que a aula particular simulasse os eventos noturnos ( casamentos, festas, etc..) que ele costuma fotografar e que eu o ensinasse como poderia tirar proveito de apenas um flash.

Mostrava na prática como a noção de número-guia estava sendo ensinada errada, que amarrar um conceito simples, porém extremamente poderoso, à idéia de “potência” era afastar do fotógrafo um conhecimento valioso para a compreensão do comportamento da luz.

Quem diz que o número-guia serve para medir a potência do flash, na verdade não tem a menor idéia do que seja potência e muito menos de como se usar um flash.

Consequência imediata de gente que, em busca de bajulação gratuita, teima em ensinar aquilo que não pratica.

Afastando um flash Canon da câmera do Bruno, eu tentava lhe mostrar como aquele acessório podia ser muito poderoso quando bem ajustado, ele fisgou a isca e fez a pergunta certeira:

Esse 580 EXII poderia iluminar o Campanário da Igreja daqui do Criadouro?

O flash no topo do tripé Manfrotto girou a cabeça, piscou o único olho  e sorriu para a gente..

Para entender o tamanho da distância que separa o ponto onde estávamos do campanário da Igreja, eu tive que recorrer ao Google Maps, olhe a foto abaixo:

Distância do flash ao campanário ad igreja

Distância do flash ao campanário da igreja

No ponto .1 eu estou sentado em um banco com uma câmera Canon programada para controlar um flash remotamente pelo pop-up. A partir desse momento, eu não me levantarei mais desse banco, todas as infos serão passadas pelos novos disparos do flash embutido

No ponto .2  existe um speedlight Canon 580 EXII montado em um tripé Manfrotto que se esgoela para alcançar mais de 3 metros de altura. Esse flash está programado para Slave, sua cabeça está fechada em 105mm  e irá SEMPRE disparar em carga total (1/1)

No ponto .3 está o campanário da Igreja de São Bartolomeu…distante mais de 75 METROS DO FLASH NO PONTO .2!!

PERGUNTA:

Se de acordo com as especificações,  a “potência” do 580 EXII é de 57,91 m, terá ele força suficiente para iluminar algo que está uma vez e meia além de sua “potência”?

Vamos tentar dar uma ajuda para nosso amigo luminoso mantendo a abertura da 70-200 sempre em f/2.8 e lembrando:

o flash está a 3m de mim, disparando sempre na carga total,  estou sentado em um banco com a câmera no tripé em ISO 100 e desde então nunca mais mexerei no flash, essa foi a foto que consegui:

ISO 100, f/2.8@1/250s

ISO 100, f/2.8@1/250s

Zero, nada! Como era de se esperar algo tão fraco como um flash de câmera jamais iria iluminar corretamente algo tão distante e grande como a torre de uma igreja distante 70 metros do fotógrafo, isso é trabalho para uma “big light” ou algum equipamento caríssismo que eu terei que juntar dinheiro a vida toda para comprar…

Mas, veja o que acontece quando altero a sensibilidade da câmera para ISO 400:

ISO 400, f/2.8@1/250s

ISO 400, f/2.8@1/250s

Uma leve subida no ISO da câmera fez com que o campanário fosse corretamente iluminado…mas como isso é possível se eu não toquei um dedo no flash?

A carga não foi alterada, a potência do flash permaneceu a mesma ( aliás, qual a potência de um 580? ou um SB-910?), mas o meu número-guia claramente ficou maior, o que está acontecendo?

Outra perda com a associação da idéia de potência: se o campanário estivesse a 80 ou 60 metros, a luz o atingiria com a mesma intensidade…como?

 PERGUNTA

Se em ISO 400 um flash comum consegue iluminar algo distante 75 metros, o que acontece com uma noiva fotografada a 3 metros de distância em ISO 3200 e f/2.8? A tendência a vaporizar pessoas é um erro do flash ou do fotógrafo?

Você já nasceu com o melhor equipamento, pare um pouco e pense nas perguntas, aguardo seu comentário!

BOA LUZ E BOA SORTE!

 

 

 

 

 

I LOVE MY JOB utiliza WordPress com FREEmium Theme.
As modificações foram feitas por Carlos Alberto Ferreira