Archive fevereiro 2009

“Be quick or be dead”… 7

Uma das vantagens do uso dos SB-800/600 é a rapidez com que eles ficam prontos para a “batalha”. Em questão de segundos consegue-se mudar da operação normal para “remote” e vice-versa.

Quando tudo no seu trabalho conspira contra você, velocidade se torna um grande trunfo.

Essa foto é um exemplo bem interessante. No início de toda novela, nós temos a obrigação de retratar todos os atores, seus pares, filhos, foto na vertical, horizontal, bastidores, cenas, viagens..resumindo: tudo que renda bons espaços de divulgação em jornais, revistas e sites. É uma verdadeira campanha de guerra! Lógico que nem sempre é possível, já que a gravação de uma novela obedece a regras típicas de uma linha de montagem, mas quando se fareja uma boa oportunidade, você tem que estar preparado.

Um espaço bem disputado é a coluna do Ancelmo Gois, do Jornal “O Globo”. Aos domingos ele publica o que nós chamamos de “Bonitona”: uma foto de alguma atriz ou apresentadora que esteja fazendo algo de relevante no cenário cultural. Se essa atriz/apresentadora for um belo exemplo do poder da miscigenação brasileira, as chances aumentam consideravelmente.

Era o caso da atriz Lucy Ramos, sem dúvida alguma, uma mulata de traços irretocáveis.

Enquanto fotografava nos estúdios uma cena da nova novela “Paraíso”, vi que poderia tentar a bonitona daquela semana. Esperei a gravação terminar e perguntei se poderia fazer um retrato dela. “Lógico, mas tem que ser rápido porque preciso trocar esse figurino…”. Ela tinha um sorriso desconcertante. O assistente de estúdio me trouxe de volta à Terra com um grito: “Renatão, você tem 5 minutos!!!

Aprenda uma coisa: quando um assistente de estúdio diz “5 minutos”, você dispõe de apenas 2. O tempo voava…

As luzes internas do cenário já haviam sido desligadas, as únicas funcionando eram as que ficavam do lado de fora e simulavam a luz do sol entrando pelas janelas. A parte externa dos cenários não recebe acabamento, logo, a iluminação era rebatida em gigantescas pranchas de madeira crua, resultado: uma luz suave e com um leve tom amarelado, perfeita para a pele da atriz. Pronto! Eu já tinha a minha luz principal.

O problema estava lá atrás, no portão de saída do estúdio: negro como a noite…. Embora eu já namorasse essa porta como elemento de minhas fotos a um certo tempo, não queria que ela se fundisse com o cabelo da atriz. A reprodução no papel jornal iria piorar ainda mais a situação. Solução?Providenciar uma luz de separação!

Tirei o SB-800 da câmera e o coloquei no modo “remote” em menos de 5 segundos, programei a D200 para disparar o flash em TTL mesmo e pedi que o nosso estagiário de fotografia, Thiago Prado Neris, o segurasse atrás da atriz, fazendo um angulo de 45 graus.

Um fundo negro, uma atriz negra com uma blusa branca…hummm…um prato cheio para um erro do fotômetro da câmera, mas nem me preocupei com isso: no ângulo em que ele segurava, qualquer que fosse o “desacerto” do flash, se ele disparasse a +1, 0 ou -1, o resultado seria o mesmo: um brilho proporcionado pelo reflexo da fonte luminosa, uma luz especular. Era isso o que procurava…

A temperatura de cor dos refetores de estúdio é de 3.200 K, o WB da D200 estava ajustado para o mesmo valor, coloquei um gel “full CTO” (aquele “celofane” laranja que vem dentro da caixinha que acompanha o SB-800) para baixar a sua temperatura de cor, acionei o flash embutido e me lembrei de um detalhe importante: em ISO 800 e na distância em que eu me encontrava, mesmo ajustando o flashinho para “–” no commander mode da D200, o pré-flash era captado pelo sensor. Observe essa fora da atriz Luli Muller, feita na mesma lullisituação:  é possível notar uma sombra azulada na porta branca bem atrás dela,  típica de flash na câmera , resultado da falta de gel de correção no buil-in flash.

A luz frontal do flashinho embutido revelava detalhes do rosto que estariam escondidos pela sombra da luz principal, isso era bom, mas o tom azulado eu não teria como corrigir, não havia tempo de recortar um filete de CTO tão pequeno, por mais que houvesse vários rolos de CTO por todo o estúdio…o assistente já se dirigia para onde eu estava fotografando (ele tinha dito 5 minutos, não é?). O Photoshop iria resolver essa parada….

Pedi que ela se virasse para a luz principal, o Thiago levantou o flash, eu fechei o enquadramento da foto na cintura da atriz e cliquei algumas vezes. O primeiro clique ocorreu ás 15:43 h de uma quinta feira, 05/02, o último deles às 15:45 do mesmo dia….um recorde! rsrsrsrs…

O resultado final pode ser visto logo abaixo:

Lucy Ramos

Note como a luz do flashinho embutido “abriu” as sombras do rosto e como a falta de gel deu uma coloração azulada ao brilho dos olhos dela (e em toda a área de sombra do rosto).

Ok, ok, luz caretinha, mas que funciona sempre ( e vamos combinar: EU TINHA 2 MINUTOS!!!rsrsrs )

Ah! se eu emplaquei a “bonitona”?

Dá uma olhada aqui:

http://flickr.com/photos/800asas/3266815326/in/photostream/

Abraços e boa sorte!

I LOVE MY JOB utiliza WordPress com FREEmium Theme.
As modificações foram feitas por Carlos Alberto Ferreira